Você está aqui

Quatro estados brasileiros começam a implantar o projeto ‘Escola Sem Machismo’, da ONU

Quatro estados brasileiros começam a implantar o projeto ‘Escola Sem Machismo’, da ONU

Se, no passado, discussões sobre sexualidade eram tabu em salas de aula, e professores eram reprimidos por permitirem e participarem de debates em torno do tema, hoje se torna evidente que o sexo, não só o aspecto prático mas também o sentido humano, emocional e político do tema, é inevitável em classe. Por isso surgiu o projeto Escola Sem Machismo: financiado pela União Europeia em parceria com a ONU, o projeto visa transformar o debate ao redor do machismo em uma série de aulas, como medida para minimizar, através da educação, a violência contra a mulher.

O objetivo é elementar e, no entanto, bastante ambicioso: se aproximar do tema em sala de aula de forma transversal, a fim de desmistificar tabus e principalmente desconstruir os imaginários previamente estabelecidos. A primeira versão do currículo foi distribuída gratuitamente através de redes sociais, e rapidamente mais de 30 professores de todo o país, assim como os estados do Espírito Santo, Bahia, Paraíba e Distrito Federal já haviam aderido à causa.

Dos quatro estados, o Espírito Santo se apresenta em fase avançada do projeto: sua proposta já foi aprovada pela Secretaria de Direitos Humanos e, com o apoio da ONU Mulheres, 50 escolas capixabas incluirão as aulas no currículo. A ideia é de que, até o ano que vem, o currículo seja ampliado em todo o estado.

O projeto, no entanto, que ir além da sala de aula, e ser oferecido em outras áreas – para jogadores de futebol, caminhoneiros e refugiados, entre muitos outros, por exemplo. Para além das aulas, a desconstrução será proposta também através de pesquisas, oficinais, debates, documentários e peças de teatro. O futuro do que consideramos “normal” é a igualdade de gêneros – só nos resta escolher o quanto queremos ainda permanecer presos, congelados em um passado triste e desigual.

@Fonte: Hypeness

Comentários