Você está aqui

Moradores do RJ transformam lixão em um parque ecológico premiado internacionalmente

Moradores do RJ transformam lixão em um parque ecológico premiado internacionalmente

 

Quem passa pelo Parque Ecológico Sitiê, no morro do Vidigal, no Rio de Janeiro, não imagina que esse parque já foi ocupado por habitações irregulares e, por consequência, um lixão. 

 O antigo sítio de uso comunitário, tornou-se lixão após a Prefeitura do Rio de Janeiro retirar os moradores do local e demolir as casas existentes. Entretanto, grande quantidade de entulho proveniente da demolição, permaneceu no local, o que contribuiu para que o espaço servisse de depósito de lixo para moradores das áreas próximas.

Em tempos de maiores esquecimentos, o espaço chegou a acumular 16 toneladas de lixo. Até que dois moradores mais próximo da área, Mauro Quintanilha e Paulo César Almeida, decidiram começar a limpeza por conta própria. Posteriormente, outros moradores organizaram mutirões em apoio a causa e após seis anos, retiraram a maior parte do lixo e logo rebatizaram o antigo Sítio de Sitiê, que deriva da palavra sítio com Tiê – Sangue, Pássaro nativo de grande beleza e sagacidade que caracteriza o local.

Hoje em dia, o Sitiê já conta com atividades de reflorestamento, reciclagem e paisagismo. Em seguida começaram a produção de agricultura urbana e construção de escadas. E em 2012, um novo morador do Vidigal, Pedro Henrique de Cristo, formado em Harvard em Design de Políticas Públicas, começou a trabalhar com os membros do Sitiê com contenção de erosão, a complementaridade do reflorestamento e agricultura urbana, educação e design. O reconhecimento desse projeto veio logo em seguida com uma parceria com a Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro.

No final de 2013, o Sitiê foi reconhecido como inovação mais importante da América Latina nas transformações de áreas degradadas e/ou de risco em espaços públicos para sustentabilidade e cidadania em favelas.

Quer saber mais sobre o projeto? Acesse aqui.

Comentários